segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

TEATRO: «O Sr. Ibrahim e as Flores do Corão» no Teatro Meridional



Hoje voltei a encantar-me com a receita de felicidade transmitida pelo Miguel Seabra, que nos voltou a contar a maravilhosa história de uma amizade entre um miúdo judeu de 12 anos chamado Moisés e o árabe da Rua Bleu (que não é azul!), esse Sr,. Ibrahim, que é afinal um muçulmano sufi vindo do Crescente Dourado dotado de uma enorme sabedoria sobre as coisas da vida.
Vira a peça no final do ano passado e, apesar de tantos outros espetáculos memoráveis, elegi-a como aquela que maior satisfação me dera ao longo de 2012. Sobretudo, porque nestes tempos de desesperança, mais ou menos insuportável, justificam-se principalmente dois tipos de espetáculos: ou aqueles que denunciam injustiças e nos fazem vir para a rua com renovada vontade de transformar o mundo, ou os que nos embalam num tipo de magia em que o encantamento nos permite fazer tréguas com as guerras em que nos sentimos empenhados porque, depois, ficamos revigorados para o que se possa seguir!
A peça interpretada pelo Miguel Seabra com o imprescindível acompanhamento musical do Rui Rebelo, lembra-nos que vale a pena operarmos a cura das dores de infância, aceitarmos a integração noutras famílias/ tribos em que nos sintamos excecionais e trabalharmos para nos melhorarmos continuamente. Pelo meio temos as prostitutas gentis da Rua do Paraíso, a Bardot com muita sede e carteira repleta de francos, um pai incapaz de se libertar da memória dos carris direcionados aos campos da morte  e uma viagem iniciática ao ritmo dos dervixes a dançarem em roda de si mesmos.
Se tanto nos encantámos em tempos com a amizade entre um principezinho e uma raposa, como não repetirmos a proeza neste encontro improvável entre um miúdo ansioso por se tornar adulto e esse velho sábio, que o orienta para os caminhos do conhecimento e da sua realização?
A História do Sr. Ibrahim ainda continuará mais uns dias na sala do Teatro Meridional no Poço do Bispo e continua a ser imperdível!

Sem comentários:

Publicar um comentário