sábado, 4 de maio de 2013

POLÍTICA: continuam-nos a quebrar o encanto do maio maduro maio


Cantava Zeca Afonso que, quem quebrou o encanto a maio, nunca o amou. E, de facto, não conseguimos entrar primavera adentro com as esperanças reservadas para tempos mais suaves, sem os rigores invernais, que, em definitivo, quereríamos deixar para trás. O gaspar e passos coelho não deixam: pelo contrário insistem em infernizar-nos ainda mais a vida do que o têm feito até aqui!
O tóxico ministro das finanças já não enjeita ofender o parlamento das formas mais explicitas, reveladoras do seu carácter,  aonde as qualidades minguam e os defeitos são mais que muitos. A começar pela falta de uma cultura minimamente democrática…
Quanto a passos coelho, já nem sequer importa referir o quanto ele demonstra à saciedade o conhecido pressuposto do princípio de Peter. Se as suas competências não aconselhariam a entregar-lhe sequer a gestão de uma autarquia, arrogar-se da presunção de agarrar o leme do país em tão delicado contexto, só revela a sua imatura irresponsabilidade. Ademais balizada num suporte ideológico muito pobre aonde as referências se quedam ao nível dos livros de autoajuda.
Neste maio, que permanece cinzento por culpa desta gente, precisamos de uma dinâmica social capaz de devolver a este mês as vibrantes cores primárias de uma esperançosa ressurreição.




Sem comentários:

Publicar um comentário