quinta-feira, 16 de maio de 2013

Banda Sonora: Mendelssohn na Gulbenkian


No concerto desta noite no Grande Auditório da Gulbenkian contaremos na primeira parte com o Concerto para Violino e Orquestra em mi menor (opus 64) de Felix Mendelssohn Bartholdy.
Tratando-se da derradeira composição orquestral do compositor foi criada para o violinista Ferdinand David, que se tornara seu amigo desde que começara a trabalhar com ele como violinista nos Concertos Gewardhaus de Leipzig a partir de 1836.
Porém, só em 1843, após longa correspondência epistolográfica entre os dois, e em que o instrumentista foi dando opiniões consistentes para a evolução da obra, é que ela ficou concluída, tornando-se numa das composições mais apreciadas e divulgadas da música erudita.
Nas notas publicadas no programa, Luis Raimundo classifica-a como uma peça bastante inovadora no seu tempo: contrariamente ao tradicional concerto clássico, que apresenta no início do primeiro andamento uma dupla exposição - a primeira destas orquestral e a segunda a cargo do solista -, o concerto de Mendelssohn expõe o primeiro tema imediatamente  no violino sobre o tumultuoso murmúrio das cordas. Também a tradicional cadência solista  surge no final da secção de desenvolvimento, antecedendo a exposição, e não no final do andamento como seria previsível numa obra clássica.
Ademais, o concerto termina com uma exuberante coda, na qual Mendelssohn conduz o solista e a orquestra aos seus limites técnicos e expressivos.
Perspetiva-se, pois, um excelente concerto dirigido pelo maestro Lawrence Foster que, após onze temporadas à frente da Orquestra Gulbenkian, está prestes a abandonar o seu cargo e contando ainda com a competência da violinista Alina Pogostkina enquanto solista. No clipe abaixo vemos outra Alina (a Ibragimova) a interpretar esta mesma peça no Concertgebouw de Amesterdão em Dezembro de 2011.
Amanhã, já depois de vivida a experiência, aqui estaremos para falar da segunda parte do concerto em que se interpretará «Sonhos de uma Noite de Verão do mesmo Mendelssohn.
Os leitores do blogue ainda poderão assistir ao concerto pois, além desta noite às 21 horas, ele repetir-se-á amanhã, dia 17, pelas 19 horas.


Sem comentários:

Publicar um comentário