quinta-feira, 4 de outubro de 2012

ARTES PLÁSTICAS: As fotografias de Thomas Demand


O conceito artístico de Thomas Demand é muito simples: vê uma fotografia no jornal e reconstrói a cena. Em papel. Transforma-a em fotografias que expõe em museus do mundo inteiro.
O que parece uma brincadeira infantil é, na realidade, um processo perfecionista que roça a obsessão: os espaços são reconstituídos em tamanho natural com uma extrema precisão.
Thomas Demand suprime tudo o que não condiz com o espaço propriamente dito: nenhuma presença humana nas fotografias, nenhuma inscrição nem indicação do local, ou seja nada que mostre sinais de ocupação de tal espaço.
As suas fotografias transformam a realidade (a nossa) em cenários abstratos e glaciais.
Apostando na nossa memória coletiva reencontramos a identidade dos espaços esvaziados por Thomas Demand. Por exemplo o artista recria a casa de banho aonde o político alemão Uwe Barschel foi encontrado afogado, mas a banheira está vazia. Ou a sala de controle da central de Fukushima, mas sem os seus técnicos a controlarem-na. Ou a fachada do restaurante TosaKlause em Sarrebruck aonde foi assassinado um rapaz em 2001.

Sem comentários:

Publicar um comentário