domingo, 10 de junho de 2012


Admirável personalidade a de Suad Amiry, a quem Graça Castanheira dedicou um dos episódios da sua série «O Tempo e o Modo». É dela a frase elucidativa de serem os palestinianos as vítimas das vítimas da Segunda Guerra Mundial. Porque, à pala da comiseração pelos sofrimentos padecidos durante o Holocausto, a comunidade internacional apoiou a expulsão e espoliação de um milhão de pessoas nos meses de Abril e Maio de 1948.
A esse respeito a História vai-nos dando exemplos eloquentes de populações outrora sujeitas a grandes injustiças e depois transformadas em verdadeiras predadoras de outras ainda mais frágeis.
A história recente de Israel é disso exemplo com o espírito comunitarista dos tempos da fundação a darem lugar a uma forma de apartheid e de fascismo, que tem nos palestinianos e nos emigrantes africanos as vítimas mais óbvias.
Como alerta Suad na sua entrevista, os palestinianos têm sido demasiado tolerantes com os seus agressores, que lhes ocuparam 78% do seu território e continuam a querer estender mais colonatos para os restantes 22%. E, com justeza pergunta: se tivessem sido os palestinianos a construírem o vergonhoso muro de separação entre os dois povos, quanto tempo teria demorado até que a NATO bombardeasse tal monstruosidade?
Nos últimos tempos a opinião pública internacional tem-se distraído da terrível opressão vivida pelos palestinianos, ou não seja Hilary Clinton uma das mais ardentes defensoras dos interesses israelitas. Mas é tempo de ela voltar a despertar para tão tremenda injustiça!

Sem comentários:

Publicar um comentário