quarta-feira, 18 de maio de 2016

Um cadáver adiado, que ainda não quer acreditar que já o é!

Convenhamos que um dos motivos que devem dar alento a António Costa é contar com um líder da Oposição, que multiplica os tiros nos próprios pés. O insuspeito Ricardo Costa reconhecia na edição de ontem do «Expresso», que a guerra por ele assumida em nome da defesa dos colégios privados está a transformar-se numa previsível derrota pessoal.
Ademais, conhecidas as suas más relações com o atual Presidente da República, adivinhar-se-á que, enquanto o PSD não mudar de cabeça-de-cartaz Marcelo manterá com António Costa a tal solidariedade institucional, que em tempos também Cavaco prometera a José Sócrates. O pior será o depois...
O problema é que aproxima-se o dia em que o tapete será puxado a Passos Coelho e o governo passará a ter de enfrentar alguém que colha maiores simpatias em Belém.
Para já são múltiplos os sinais do progressivo isolamento interno do ainda presidente do PSD que os jornais andam agora a listar. Assim:
- no jantar comemorativo do 42º aniversário do PSD, organizado no Porto na semana passada, compareceram mais de mil pessoas, mas nelas só se incluíam dois dos líderes das distritais (Viana do Castelo e Porto) e dois dos seis vice-presidentes do partido (Teresa Morais e Marco António Costa). Porque a mesa de honra arriscava-se a ter demasiadas cadeiras vazias - falhou, igualmente, Luís Montenegro! -, Passos Coelho viu-se ladeado de dirigentes locais quase anónimos a nível nacional;
- no grupo parlamentar há espanto pelo facto de a comissão política ter recomendado o voto contra a proposta do Bloco de Esquerda sobre a gestação de substituição e Passos Coelho ter-se juntado às duas dúzias de deputados da sua bancada, que votaram em sentido contrário. Ademais cresce a insatisfação por Passos Coelho ter avançado com propostas sobre a redução do numero de deputados e incompatibilidades dos políticos sem ter informado previamente das suas intenções aos diretamente visados.
Acresce ainda outro indício importante: apesar de se multiplicar em visitas a empresas e instituições, Passos Coelho não tem conseguido a companhia dos deputados das comissões parlamentares correspondentes aos setores em causa apesar das solicitações nesse sentido. É que o antigo primeiro-ministro já é tão tóxico na condição de cadáver anunciado, que já poucos resistem à fetidez que exala enquanto alguém que, politicamente já morreu, mas a quem se esqueceram de o informar.
Resta-nos a curiosidade quanto à duração desta longa agonia e de quem depois lhe sucederá...

2 comentários:

  1. Passos Coelho conta com o suplemento de alma vindo de Bruxelas esperando que a CE obrigue o Governo a implementar o assim chamado plano B mesmo que este considere que tal não é necessário. Se tal não acontecer, os barões irão mesmo 'fazer-lhe a folha'. Eu diria que o ideal mesmo é que ele fique mais algum tempo, mas não demasiado. Se caísse até ao Verão, juntando o defeso estival à organização de novas Diretas e dum Congresso, nem lá para a discussão do OE de 2017 o PSD conseguiria ser uma Oposição minimamente efetiva. O que seguraria a Geringonça pelo menos até às autárquicas e deixaria as honras da casa enquanto Líder de Oposição à Dra Cristas. Sei que estou a ser mauzinho, porque o País precisa de uma Oposição Efetiva, mas estou farto de PPC e do PSD. Andamos quatro anos a aturá-los e ao CDS de Portas, merecemos bem um descanso de pelo menos 18 meses...

    ResponderEliminar
  2. Parece que começa a haver alguns a despertar no PSD e questionar o amadorismo, o circo, o chico espertismo e contradição da canalhada que tomou conta e blindou o partido que foi de Sá Carneiro, que foi social democrata um dia...A ver se alguns irredutíveis fanáticos que confundem politica e partidos com equipas de futebol e agem como se fizessem parte duma claque por vezes pior fechando os olhos, sem o mínimo de fundo no pensamento a seguirem cegamente o líder máximo, o chefe, o falso profeta, seja ele um burro, um lobo, ou uma raposa mesmo roedor disfarçado em homem, em pulhitico, em "doutor"...Não passando ele e seus acólitos de chicos espertos, mentiroso, manipulador, sem vergonha, servindo-se e servindo os plutocratas e oligarcas “amigos” mas não servindo de todo o país (não há um exemplo que prove isso, há montes que fazem lembrar outros montes)…E a M...que outros fizeram, ou que farão, em nada desculpa a safadeza deste fulanito, o monte de....que ele fez...

    ResponderEliminar