quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Um pequeno mundo de promiscuidades

A peça jornalística sobre a participação criminal contra a ex-diretora maria do carmo marques pinto, da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, e ontem inserida no «Público», é elucidativa do tipo de pessoas nomeadas por santana lopes para aquela instituição.
Casada com casimir oriol, que criou uma empresa espanhola com um dos fotógrafos das campanhas eleitorais de durão barroso e do mesmo santana lopes, a referida diretora conseguiu que lhes fossem adjudicados trabalhos audiovisuais num valor superior a 150 mil euros.
Ora essa empresa, a Loft Works, embolsou o dinheiro e não apresentou os trabalhos com que se comprometera.
E para tudo ter um picante ainda mais interessante, acontece que maurício valente, o sócio do conjugue de maria do carmo, é um amigo do coração de laura ferreira, a ditosa esposa de passos coelho, talvez por ambos terem nascido na Guiné-Bissau.
É caso para dizer que, na promiscuidade de interesses alimentado pela direita nas várias instituições onde pode exercer os seus estratagemas, o mundo acaba sempre por ser muito pequeno, indo bater amiúde a portas bem conhecidas... 

1 comentário:

  1. Será que essa senhora ( Maria do Carmo Marques "Gama todos" Pinto) criou a Associação Iniciativa para a Economia Cívica , que tem estado a cativar os habitantes e o próprio presidente da Câmara de Vila velha de Rodão ( que é um dos sócios dessa mesma Associação ) vai usar a mesma Associação para "lavar dinheiro". Parece-me que de momento já não irá conseguir visto as pessoas já se estarem a aperceber dos propósitos da criação desta Associação que vendeu o "jogo" a todos os habitante de Vila Velha de Rodão que iria gerir fundos da União Europeia para o bem comum do concelho... espero sinceramente que o presidente da Câmara retire-se dessa associação como todos os que já se juntaram a ela ( GNR , Bombeiros , Misericórdia de VVR, Agrupamento de escolas , industria da zona etc etc) e que passem palavra as outros Concelhos que já se juntaram à Associação para a Economia Cívica...

    ResponderEliminar