sexta-feira, 2 de janeiro de 2015

De Évora veio o contra-ataque

Entramos para o primeiro fim-de-semana deste ano com o ansiado contra-ataque de José Sócrates, manifestamente à altura do que todos quantos acreditamos na sua inocência esperávamos. Como ele tinha prometido, ainda agora vamos no começo de toda uma intriga, que visou assassina-lo politicamente, mas cada vez mais se direciona para um certeiro tiro de ricochete contra quem a congeminou.
Neste blogue tenho reiteradamente manifestado a crença na inocência do antigo primeiro-ministro e o carácter político da infâmia cometida por quantos o decidiram deter e calar numa cela da prisão de Évora.  Quem é suficientemente inocente para acreditar na coincidência dessa detenção com a abertura do XX Congresso do Partido Socialista e a aclamação de António Costa como novo líder?
As respostas às perguntas colocadas pela TVI foram tão eloquentes, que só reafirmaram a urgência de pôr termo à presente humilhação e de, em fase ulterior, apurar e fazer condenar os responsáveis por tão grave atentado à liberdade de um cidadão.
Se se compreende que a direção do Partido Socialista mantenha a expectável postura institucional  não questionando o comportamento da justiça em nome da separação de poderes, outra poderá e deverá ser a de milhares de cidadãos indignados com tudo quanto se tem passado com José Sócrates desde 21 de novembro, não permitindo que a culpa fique solteira.
Ao contrário das absurdas afirmações de maria josé morgado, tudo se conjuga para este caso contribuir para o desmascaramento de uma fação de magistrados apostados em intervirem ilegitimamente na vida política do país, tudo fazendo para incriminar e fazer condenar socialistas enquanto arquivam dossiers mais do que suspeitos quando capazes de comprometerem políticos da direita!

3 comentários:

  1. Já ouvi a gravação completa. Ela só confirma a minha primeira afirmação neste e noutros espaços de comentário. O Engº José Sócrates é o primeiro preso politico depois do 25 de abril de 1974. Ou a classe politica se perfila para resolver (quem faz as Leis são os politicos) rapidamente esta questão e se deixam das lérias "à politica o que é da politica à justiça o que é da justiça", ou grande parte deles estará na calha para passar pelo mesmo fado mais depressa do que pensam. O caso José Sócrates não é nem nunca foi um caso de policia ou de justiça. É UM CASO POLITICO que tem que ser resolvido, e rapidamente, pelos politicos.

    ResponderEliminar
  2. Esse dia da liberdade que chegue bem rápido sempre acreditei em Sócrates foi o único politico que se atreveu a afrontar o extremismo que já vai condicionando a vida dos portugueses com mentiras, hoje em alguns meios já nem se lhe pode dar o beneficio da dúvida, por alguns inquisidores já se tinha lançado na fogueira lamento ver o PS envergonhado e meio escondido quando está bem claro que Sócrates é um caso politico.

    ResponderEliminar