quinta-feira, 4 de abril de 2013

SÉRIE TV: «Real Humans» de Harald Hamrell


É um mundo onde os robôs humanoides - os hubots - ajudam os humanos nas suas tarefas domésticas. São comprados, utilizados, arrumados. Mas alguns personagens da série entram em comunicação mais íntima chegando às relações amorosas e à utilização daqueles híbridos como objetos sexuais. O que significa a progressiva perturbação dos frágeis equilíbrios da sociedade humana. Depressa começa a haver a noção de quanto esses hubots podem ajudar, mas também destruir as vidas dos seus proprietários. Razão para surgirem grupos que os rejeitam, os odeiam, os querem eliminar.
A ideia principal do autor da série, o sueco Lars Lundstrom, é a de que a humanidade ao inventar algo, nunca poderá fazer marcha atrás. Resta-lhe adaptar-se à mudança, assumindo as suas responsabilidades.
«Real Humans» fala da nossa humanidade em concreto e é por isso que os androides têm uma aparência tão humana. Para poder falar de racismo: a maneira como alguns dos personagens da série se comportam com os hubots é muito semelhante à que muitos dos nossos concidadãos revelam perante os imigrantes ou os ciganos.
No primeiro episódio estamos numa Suécia quase perfeita em que uma nova geração de robots tende a responder a todas as necessidades da sociedade: assistência às pessoas idosas, tarefas domésticas, etc.
Servis, esses empregados modelo nunca dormem. Mas a sua estranha presença suscita emoções contraditórias nos humanos. Do agrado de uns, de hostilidade crescente noutros, a fronteira entre seres vivos e robôs começa a esbater-se, quando o amor se mistura, ao mesmo tempo que estes últimos começam a almejar por uma maior independência.
A rebelião já começou, encetada por um grupo clandestino, os «filhos de David»...

2 comentários:

  1. Eu acho que a história da série Äkta människor é um pouco bizarro eu acho que não estamos longe de isso acontecer, para começar as pessoas estão cada vez mais dependentes da tecnologia, temos substituído ambos os relacionamentos pessoais através de mensagens na web, algo que acontece na série com o homem que tem um amante do robô.

    ResponderEliminar
  2. Assisti a série e achei-a ótima, pena que serem tão poucos capítulos. Merece uma nova temporada Real humans que tal dar um cutucão no diretor? Digam para o cara que a série fez o maior sucesso aqui em Pindorama.

    ResponderEliminar