quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

BANDA SONORA: a Sinfonia nº 8 de Dvorak em sol maior, B163, opus 88



Na década dos anos 80 do século XIX, Dvorak adquirira uma vivenda em Vysoká, localidade situada a cerca de 150 kms de Praga. Nela costumava passar os verões, dedicando-se à columbofilia e à composição musical.
Esta sinfonia foi ali criada em 1889 e compõe-se de quatro andamentos:
· Allegro com brio: vigoroso e com recurso significativo à percussão.
· Adagio: inicia-se com um solo de violino, mas com um ritmo pouco condizente com essa designação.
· Allegreto grazioso - Molto vivace: compõe-se sobretudo de uma graciosa dança em compasso 3/4, mudando depois para 4/4 com que se conclui de forma muito semelhante ao segundo andamento.
· Allegro, ma non troppo: é o andamento mais turbulento. Começa com uma fanfarra e logo evolui para uma melodia encantadora iniciada com os violoncelos. A tensão cresce e liberta-se quando uma catadupa de instrumentos que tocam o tema inicial cedem espaço para o trinado de uma trompa. A peça termina com uma coda cromática em que os metais e a percussão sobressaem.
Embora menos tocada do que a famosa Nona Sinfonia, esta Oitava também conhece grande sucesso graças à inspiração suscitada pela música tradicional daBoémia.
Dvorak estreou-a em 1890 em Praga,  encarregando-se de dirigir a respetiva Orquestra.


1 comentário: